-

Conflict Weekly Recolha Semanal sobre violência em Moçambique Número 29: 29 de Maio a 04 de Junho de 2022

Conflict Weekly No 29-29.05 a 04.06-22-FINAL

ENG:

In Mozambique, it seems as if it is not only the police who resort to public displays of violence to discipline citizens, but also teachers and school leadership. This week, 50 students at a school were physically punished in public for being late. They had to kneel during the singing of the national anthem and later crawl to their classrooms. This kind of punishment was delivered at a secondary school in Malhazine, in Maputo city, where students, tea chers, and parents have full access to modern education and are exposed to the dictates of the rule of law. Students claim that distance and lack of public transportation make it difficult for them to leave their homes at dark with the risk of being physically assaulted and sometimes raped. The institution’s management confirms the fact, but claims that it only happened once, as a way of discouraging delays. This is a typical case of social violence, often practiced because society believes that violence is a way of educating children and correcting deviant behavior in adults (such as beating or lynching suspected thieves).

PORT:

Em Moçambique, parece que não são apenas os policiais que recorrem a demonstrações públicas de violência para disciplinar os cidadãos, mas também os professores e a direção das escolas. Esta semana, 50 alunos de uma escola foram punidos fisicamente em público por estarem atrasados. Eles tiveram que se ajoelhar durante o canto do hino nacional e depois rastejar para suas salas de aula. Este tipo de castigo foi aplicado numa escola secundária de Malhazine, na cidade de Maputo, onde alunos, professores e pais têm pleno acesso à educação moderna e estão expostos aos ditames do Estado de Direito. Os alunos afirmam que a distância e a falta de transporte público dificultam a saída de suas casas no escuro com o risco de serem agredidos fisicamente e, às vezes, estuprados. A direcção da instituição confirma o facto, mas alega que o mesmo só aconteceu uma vez, como forma de desincentivar os atrasos. Este é um caso típico de violência social, praticada muitas vezes porque a sociedade acredita que a violência é uma forma de educar crianças e de corrigir comportamentos desviantes em adultos (espancar ou linchar suspeitos ladrões).

 

CEPCB

CEPCB

Centro de Estudos de Paz Conflito e Bem Estar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Continue Lendo